Sesc Cultura recebe Planetário e Observatório Solar Indígena

2086
Woman in field with her hands lifted in praise

Neste mês de julho o Sesc Cultura, em Campo Grande, terá uma atração especial aliando astronomia e conhecimento da cultura indígena. De 25 a 28 de julho estará instalado na unidade o Planetário e Observatório Solar Indígena desenvolvido pelo curso de Física da UEMS (Universidade Estadual do Estado), campus de Dourados.

Será oportunidade para conhecer algumas constelações e mitos do céu Guarani e também estarão disponíveis, no átrio, telescópios para observação do céu. O planetário é uma estrutura inflável com cinco metros de diâmetro e 4,5 metros de altura e que pode receber até 30 pessoas, por visitação.  As visitas estarão abertas das 10h às 12 horas e das 14h às 20 horas.

O Planetário projeta o céu em telas semi-esféricas e permite a visualização de planetas e estrelas. Os jogos de luzes reproduzem o céu de qualquer ponto sobre a superfície da Terra e em qualquer época do passado e do futuro.

O observatório solar indígena, equipamento criado pelos povos Guaranis e usado desde fins de festejos à orientação do plantio, consiste em um círculo dividido várias linhas (norte/sul, leste/oeste, noroeste/sudeste, sudoeste/nordeste). As observações dos movimentos do Sol podem ser percebidas por meio da sombra de uma haste vertical – chamada de gnômon -, que fica no centro do Observatório, para determinar o meio dia solar, os pontos cardeais e as estações do ano.

Palestra – No dia 26 de julho, às 19 horas, haverá a palestra Etnoastronomia e os conhecimentos indígenas sobre o céu. Coordenador do curso de Física da UEMS, Paulo Souza da Silva, ressalta que os conhecimentos indígenas sobre fenômenos astronômicos se desenvolveram a partir da percepção da sazonalidade em atividades como caça, pesca, coleta e lavoura e também por questões culturais e religiosas, valorizando os saberes antigos.

“A etnoastronomia pode contribuir para aperfeiçoar o ensino-aprendizagem no ensino fundamental, pois envolve conteúdo de ciências, matemática e geografia. Seja através de observação do céu com olhos desarmados, ou usando os telescópios e também usufruindo o nosso planetário móvel, no qual traremos a mitologia tupi-guarany fazendo referência aos ancestrais desses povos que utilizavam conhecimento astronômico para responder a fenômenos naturais, a identificação de pontos cardeais e às estações do ano, essa última de grande valia para agricultura e sobrevivência”, observa Paulo.

Serviço – O Sesc Cultura está localizado na Avenida Afonso Pena, nº 2270. Acompanhe a programação do Sesc no site sesc.ms