Mostra de cinema “Territórios Hostis” leva à reflexão sobre barreias entre as pessoas

53

Das barreiras geográficas, sociais, culturais ou mesmo linguísticas, todas elas estão contempladas na seleção cinematográfica “Territórios Hostis”, que o Sesc Corumbá preparou para a segunda semana de maio, com exibições, gratuitas, na terça e quarta-feira, às 15 horas e na quinta e sexta-feira às 19h30.

Os títulos, de diversas nacionalidades, falam dos muros que separam as pessoas, levando à reflexões para contribuir com a transposição destas barreiras. Confira abaixo a programação.

Na terça-feira, 07, será exibido “Martírio”, dirigido por Vincent Carelli, Ernersto Carvalho e Tita. Uma análise da violência sofrida pelo grupo Guarani Kaiowá, uma das maiores populações indígenas do Brasil nos dias de hoje e que habita as terras do centro-oeste brasileiro, entrando constantemente em conflito com as forças de repressão e opressão organizadas pelos latifundiários, pecuaristas e fazendeiros locais, que desejam exterminar os índios e tomar as terras para si.

Quarta-feira, 08, tem “Era o hotel Cambridge”, com direção de Eliane Caffé. Refugiados recém-chegados ao Brasil dividem, com um grupo de sem-teto, um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Além da tensão diária que a ameaça de despejo causa, os novos moradores do prédio terão que lidar com seus dramas pessoais e aprender a conviver com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam juntos a vida nas ruas.

Quinta-feira, 09, é a vez de “Futuro Perfeito”, de Nele Wohlaz. Xiaobin, uma jovem chinesa de 17 anos e está perdida em um mundo novo. Após se mudar para a Argentina sem falar nenhuma palavra em espanhol, ela busca um rumo para seu futuro. Poucos dias depois de sua chegada, novos caminhos já vinham sendo traçados: ela já tinha um novo nome, Beatriz, e um emprego em um supermercado chinês. Ao se matricular em uma escola de línguas, a jovem vai aos poucos aprendendo novas palavras, ao mesmo tempo em que seu futuro é delineado.

E na última sessão, de sexta-feira, 10, tem “Fátima”, de Philippe Faucon. Fátima cria sozinha as duas filhas: Souad, de 15 anos, adolescente rebelde; e Nesrine, de 18 anos, começando os estudos de medicina. Ela não fala bem francês, o que frustra sua comunicação com as filhas, mas ainda assim ambas são a razão para que ela siga em frente. Um dia, em seu emprego como empregada doméstica, ela cai de uma escada. Convalescendo, escreve em árabe tudo o que nunca conseguiu dizer às filhas em francês.

Serviço – O Sesc Corumbá fica na rua 13 de junho, 1703 – Centro. Informações pelo telefone (67) 3232-3130. Acompanhe a programação do Sesc no site sesc.ms