Em março, o Arte da Palavra, projeto de literatura do Sesc, agita a cena literária de Campo Grande e Corumbá.

590
Vitor Pirralho

Neste mês de março o projeto Arte da Palavra, do Sesc, inicia o circuito de 2018. Serão 24 ações até novembro em todas as cadeias da literatura, desde a formação e divulgação de novos escritores, a valorização das obras e escritores brasileiros e as novas formas de produção e fruição literária que se dá a partir dos debates que trarão nomes de peso da literatura contemporânea nacional como Bruna Beber (RJ), uma das grandes expoentes da poesia contemporânea brasileira, e Ricardo Aleixo (MG) poeta e performer que trabalha a temática negra. Das 24 ações, 8 serão oficinas de criação literária como o de escrita criativa com Sidney Rocha (PE), ganhador do prêmio Jabuti; além de oficina de tradução, roteiro cinematográfico e literatura fantástica.

A ação que inaugura o circuito 2018 é uma apresentação destinada à poesia oral que vai juntar o contemporâneo e o tradicional: rap, poesia, repente e cordéis – um projeto montado especialmente para o Arte da Palavra pelos alagoanos de peso na cena literária: Vitor Pirralho, com composições gravadas por Ney Matogrosso e Jorge Calheiros, uma lenda viva do repente, reunindo mais de 100 cordéis publicados, todos decorados na ponta da língua.

Em Campo Grande o encontro será no dia 20 de março, terça-feira, às 19h30, no Sesc Morada dos Baís e em Corumbá no dia 22, às 19h30 no Sesc Corumbá. A ação é aberta ao público.

Encontro inusitado – Intitulado “De repente rap” o encontro entre a poesia tradicional popular, que é a literatura de cordel, repentistas ou emboladores, com a contemporaneidade do rap, é iniciativa que Vitor Pirralho considera primordial para o entendimento da cultura popular. “Isso é uma coisa que deveria ser entendida pelos próprios rappers ou MCs, que são títulos que até me incomodam. Eu me considero um poeta”.

Também professor de literatura, Vitor dialoga com seus vários gêneros, sobretudo com o Modernismo, no Manifesto Antropofágico de Oswald de Andrade. Uma interface que exige conhecimento da literatura nacional desde o período colonial.

“É legal me juntar a alguém do quilate do Jorge e poder apresentar meu trabalho, que é essa discussão literária. São meus temas preferenciais, a fala do povo em confronto com as normas gramaticais e o processo de colonização, desde as grandes navegações até a colonização tecnológica que é algo que discuto bastante no meu disco novo”.

Os circuitos do Arte da Palavra:

No Circuito Oralidades – um espaço para a palavra oral, à narração de histórias e à veiculação oral da poesia. O circuito aproxima, em cada manifestação, a riqueza e multiplicidade de vozes, ideias e costumes, por meio de saraus, performances, slam poetry, repentes e outras manifestações que se multiplicam Brasil afora.

O Circuito de Autores – voltado a valorização e divulgação de autores nas diferentes comunidades literárias. No Circuito de Criação Literária, composto por oficinas literárias de diferentes temáticas, o objetivo é exercitar a prática da escrita literária nas suas diferentes manifestações, mas também criar leitores com maior bagagem literária.

Circuito de criação literária – oficinas em que as diferentes formas e práticas de escrita são trabalhadas e estimuladas com escritores de diversos lugares do país. Possibilita a formação de grupos produtores e consumidores de textos literários, nos diferentes gêneros, modalidades, temas e níveis de leitura; favorece discussão e reflexão sobre a obra literária, os meios de produção e circulação das obras, envolvendo o escritor, a obra e o leitor e estimula o intercâmbio entre escritores/oficineiros, multiplicando as metodologias e olhares sobre a escrita literária.

Serviço – O Sesc Morada dos Baís fica na Avenida Noroeste, 5140. Informações pelo telefone (67) 3311-4300. A unidade do Sesc Corumbá fica na rua 13 de junho, 1703 – Centro. Informações pelo telefone (67) 3232-3130. Acompanhe a programação no site sesc.ms e www.sesc.com.br/portal/site/ArtedaPalavra