Café literário do Sesc traz para Corumbá vencedoras do Prêmio Sesc de Literatura

538

Nos dias 16 e 17 de novembro, o Sesc Corumbá terá uma edição especial do Café Literário, desta vez com duas ganhadoras do prêmio Sesc de Literatura de 2015, Sheyla Smanioto e Marta Barcellos. A atividade é aberta ao público às 19h30 e às 19h, respectivamente, na unidade do Porto Geral.

Com a temática: “o universo feminino na literatura contemporânea”, as autoras discutirão os meandros literários concernentes ao tema. Falarão também do universo da criação ficcional e sobre seus livros: “Desesterro”, de Sheyla Smanioto e “Antes que seque”, de Marta Barcellos.

Vencedoras do Prêmio Sesc de Literatura 2015, numa edição que teve recorde de inscrições, com 1.966 trabalhos, sendo apenas um terço de autoras, as duas terão seus primeiros livros publicados este ano.

Jornalista, Marta Barcellos, de 49 anos, é mestre literatura pela PUC-Rio e trabalhou durante 18 anos em alguns dos principais jornais do país, como O GLOBO, “Gazeta Mercantil” e “Valor Econômico”. Hoje, é colunista da revista “Capital aberto” e do site “Digestivo cultural”. Seu livro “Antes que seque” reúne 24 contos, costurados entre si, em que 12 mulheres se defrontam com as impossibilidades de engravidar e de corresponder a uma figura materna idealizada.

Já Sheyla Smanioto, de 25 anos, é graduada em Estudos Literários e mestre em Teoria e História Literária pela Unicamp e produtora cultural. Em “Desterro”, Sheyla constrói uma trama sobre metamorfoses, histórias de vida, sonhos e fotografias imaginadas.

Sobre as obras

“Desesterro” – Primeiro romance de Sheyla Smanioto, feito de muitas vozes e de sonhos de uma menina sem nome e de uma avó cansada. O cenário de pobreza e de carência de Vila Marta e Vilaboinha – cidades fictícias – deixa na pele de Maria de Fátima, personagem principal, as marcas das gerações que se sucederam neste universo duro e de fome que ecoa um arquétipo de Brasil profundo. Carregado de dramaturgia, feito de torções gramaticais e desorganização temporal e espacial, “Desesterro” dá ao leitor a impressão de transitar entre realidade e sonho.

“Antes que seque” – As doze mulheres retratadas nos contos de Marta Barcellos se defrontam com uma mesma impossibilidade: a de engravidar e corresponder a uma figura maternal idealizada. Marta costura essas histórias com uma linguagem eficaz, ao mesmo tempo pungente e delicada, incitando o leitor, fascinando-o e conduzindo-o por contos que giram em torno da classe média alta e seus códigos. Da promessa de felicidade que não se cumpre em padrões de consumo e aparências. Da urgência e do mal-estar de se viver em uma sociedade de contrastes. “Antes que seque” surpreende com profundas reinvestigações do que pode ser o ato de contar um conto: inventivas releituras de uma forma aparentemente inesgotável.

Serviço – A unidade do Porto Geral está localizada na rua Domingos Sahib, 570. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3232-3130.